FUNDADO EM 05 DE OUTUBRO DE 1922

DIRETOR
ANTÓNIO MAGALHÃES

SUB DIRETOR
EDUARDO COSTA


11-4-2017, S. TIAGO DE RIBA-UL
> Sociedade Columbófila de Riba-Ul leva o nome da freguesia pelo país
“A Sociedade de Riba-Ul está mais competitiva”

Há cerca de 25 anos envolvido na Sociedade Columbófila de Riba-Ul, Álvaro Resende sente que a coletividade tem crescido nos últimos anos. Com cerca de 50 sócios, 30 dos quais ativos, a associação quer atrair mais jovens para a modalidade e dotar as instalações de melhores condições.


Filipa Gomes

As origens da Sociedade Columbófila de Riba-Ul remontam, pelo menos, ao ano de 1972, explica o presidente, Álvaro Resende, que se apaixonou por este desporto há cerca três decadas.

Por norma, a columbofilia é um desporto de família cujo gosto passa de pais para filhos, mas a maneira como o atual dirigente da Sociedade Columbófila de Riba-Ul se envolveu com a modalidade fugiu à regra. “Quem me atraiu para os pombos foi o meu vizinho e acabei por ficar com o vício”, conta Álvaro Resende, que apesar de não ser natural da freguesia, olha para Santiago de Riba-Ul como uma segunda casa.  

Em fevereiro começaram as competições da columbofilia, que se prolongam ao longo de 18 semanas, com seis provas de fundo, seis provas de velocidade e seis provas de meio fundo.

Coletividade está de portas abertas

Com 30 sócios a competir e uma média de 860 pombos por competição, Álvaro Resende acredita que tem conseguido levar o barco a bom porto, apesar de o número de atletas jovens  ser cada vez mais escasso. “Temos pouca malta nova, mas a Sociedade de Riba-Ul está mais competitiva de há meia dúzia de anos para cá. Já fomos campeões do concelho, este ano ficamos em terceiro lugar, temos alguns títulos”, considera o presidente, que acredita que os membros se juntam não só pelo amor à columbofilia, mas também pelo companheirismo. “Temos sempre os nossos convívios, os nossos almoços e temos feito melhoramentos na coletivivade. A sociedade está aberta a todos, mesmo aos que não têm pombos”, avança o dirigente, que realça a necessidade de uma cobertura para a sede da coletividade.

No futuro, Álvaro Resende gostaria de ver crescer o número de jovens na coletividade, que continua a levar o nome de Santiago de Riba-Ul pelo país fora. “Temos conseguido manter quem cá está e até aumentamos de 27 para 30 o número de sócios ativos do ano passado para este ano. O objetivo é continuar, tentar que a sociedade tenha boas condições e ofereça bons prémios”, remata. 


 




OUTRAS
S. TIAGO DE RIBA-UL
11-4-2017»  41 anos de crescimento sustentado
11-4-2017»  Setor da construção dá sinais de melhorias
11-4-2017»  Cheto com “crescimento galopante”
11-4-2017»  Trinta anos ao serviço das empresas
11-4-2017»  A fábrica mais antiga de camisas do país
11-4-2017»  “Quando ajudamos recebemos muito em troca”
11-4-2017»  Uma forma diferente de olhar o envelhecimento
11-4-2017»  Banda secular para “acarinhar e preservar”
11-4-2017»  “Antes de construir é necessário preservar o que nos foi deixado”
19-3-2017»  Alargamento de curva perigosa dentro de um mês



PESQUISA





REDACÃO:
Edifício Rainha, 8º Piso
3720-232 Oliveira de Azeméis


CONTACTOS:
Telf: 256 04 98 90 * Fax: 256 04 62 63
Tlm: 939628533


Horário Atendimento: 2ª a 6ª - 9:00h / 18:00h
email: geral@correiodeazemeis.pt


Todos os direitos reservados, 2017