FUNDADO EM 05 DE OUTUBRO DE 1922





DIRETR
EDUARDO COSTA


5-12-2017,
> Projeto para o novo estádio já está em andamento
SAD com ‘luz verde’ na UDO

Os sócios da Oliveirense conferiram à Direção poderes para negociar com possíveis investidores a constituição de uma SAD para gerir o futebol profissional. O objetivo é a construção de um novo estádio para o qual está já a ser feito o projeto e o mesmo pode vir a nascer no terreno onde está o Centro de Formação de Futebol.


Ana Catelas

Na assembleia geral realizada na passada quinta-feira, os sócios da Oliveirense aceitaram, por maioria, a constituição de uma SAD para gerir o clube. Contudo, ainda não é certo que este modelo possa avançar. De acordo com o presidente da Oliveirense, Horácio Bastos, a constituição da SAD apenas avança se o possível investidor adiantar os cinco ou seis milhões necessários para a construção do novo estádio de futebol. Fazer face às “altas” despesas diárias e melhorar as infraestruturas da Oliveirense são os objetivos da Direção ao trocar a SDUQ por uma SAD, que permite o investimento de capital externo. “Nós não queremos uma SAD para pagar dívidas. Queremos por causa do novo estádio”. “Temos tido conversas com um investidor que parece interessado em investir esse dinheiro”, adiantou Horácio Bastos, comprometendo-se a marcar nova assembleia geral para os sócios aprovarem a SAD já definida, com os prós e os contras deste modelo para a Oliveirense. O presidente ressalvou, contudo, que o património será sempre pertença da Oliveirense, incluindo o novo estádio, mesmo que este venha a ser construído com o dinheiro dos investidores. “Se assim não for não há SAD nem investidores”, garantiu. Com esta medida, Horácio Bastos pretende criar “um futuro próspero” para a Oliveirense, reconhecendo que o clube tem sido sustentado em três pilares: a Câmara Municipal o Grupo Simoldes e a Lactogal. “Estamos a colocar a fasquia muito alta, não quer dizer que consigamos o estádio, mas vamos lutar para ter as condições dignas para o futebol”, acrescentou o presidente.

Maioria dos sócios
está ao lado da Direção
Os sócios da Oliveirense, que aprovaram por maioria a proposta de criação da SAD, mostraram-se recetivos à constituição da SAD, embora com algumas desconfianças. “A iniciativa parece ter pés para andar”, afirmou António Alves. Já em resposta às dúvidas do associado Bruno Soares, o presidente da Oliveirense explicou que são necessários “vários anos” para que os investidores comecem a ter retorno do investimento feito e tal acontecerá com uma “boa gestão” e depois da Oliveirense subir à 1ª Liga e, eventualmente, “vender um ou dois jogadores”. Por sua vez, o sócio Canana mostrou-se “receoso” quanto à formação de uma SAD e sugeriu mesmo o nome do empresário António da Silva Rodrigues, “que já tem gasto milhões na Oliveirense”, para o principal investidor da SAD.
O sócio Joaquim Lestre defendeu que a Oliveirense deve andar num Campeonato para o qual tem condições, revelando-se contra a constituição de uma SAD. “Se a Oliveirense não tem equipa para andar no futebol profissional deve ir para outro campeonato. Vejo clubes do nosso concelho com mais e melhores condições que o clube mais representativo do concelho. Se tivermos que começar todo do zero, pois assim será”, opinou o associado.


> Eduardo Costa quer defender-se

Ex-presidente solicitou auditoria às contas
O sócio Eduardo Oliveira Costa, presidente da UDO entre 2006 a 2009, solicitou uma auditoria às contas do clube, pretendendo esclarecer como encontrou o clube e como o deixou. O objetivo, segundo aquele associado, é “fazer justiça a uma Direção que tirou o clube de um buraco financeiro para o deixar de boa saúde”. O presidente do clube, Horácio Bastos, mostrou-se contra a auditoria, afirmando que a mesma é “desnecessária” e “não leva a lado nenhum”, podendo mesmo “prejudicar” o clube nesta altura. O sócio Joaquim Lestre partilhou da opinião de Horácio Bastos e afirmou que “o que interessa é o presente e o futuro”. Também Carlos Correia concordou com as palavras do presidente do clube e acrescentou: “o sr. Eduardo Costa achou que estava a ser injustiçado e que lhe eram feitas acusações injustas. Ninguém deve acusar ninguém. Quem serve o clube dá sempre o melhor de si, mas uma auditoria não vai resolver nada”, concluiu Carlos Correia.


> NOTA DO EX-PRESIDENTE DA UDO 2006/2009
A verdade deve ser reposta
“Fui publica e mentirosamente acusado, e comigo a minha direção, de ter deixado o clube mergulhado em dívidas e na miséria. O que é mentira. Pedi ao clube por escrito (Conselho Fiscal e Direção) que repusessem a verdade. Optaram por não o fazer. O que fizeram comigo e com a minha direção foi muito injusto. Solicitar a auditoria foi a única opção perante as mentiras difundidas. Tem sido prática responsabilizar a Direção anterior para justificar dificuldades presentes (eu não o fiz). Esta foi, aliás, a atitude do atual presidente, nesta assembleia, sobre o que o antecedeu. Isto prejudica o clube, esta prática tem que acabar. Ou é verdade ou então não está certo. No meu caso e da minha Direção é mentira. Podem não querer reconhecer o que a minha Direção fez pelo clube, que herdamos de portas fechadas e chaves na Câmara; podem não querer reconhecer os feitos desportivos, os maiores da história do clube no Futebol. Mas, mentir e enxovalhar o bom nome de quem tanto deu de si, isso não! Irei até onde a Justiça permitir para repor a verdade”.
Eduardo Costa

> Projeto em andamento
Novo estádio no lugar do Centro de Formação
Horácio Bastos adiantou que já está a ser feito um estudo para a construção do novo estádio de futebol no local onde se encontra o Centro de Formação Ápio Assunção, mas tal só será concretizado se a Oliveirense conseguir adquirir o terreno onde está a pista de atletismo da Escola Soares Basto. Já o Centro de Formação teria de ser construído noutro local ainda não definido. Por sua vez, o Estádio Carlos Osório pode vir a ser vendido.

> Contas aprovadas
Oliveirense com 117 mil euros de saldo
Nesta assembleia, os sócios da Oliveirense aprovaram também o relatório de atividades e as contas referentes a 2016. O documento foi aprovado por maioria com nove abstenções. No que diz respeito às contas, a Oliveirense fechou o ano de 2016 com um resultado positivo de 117 mil euros. “O clube está perfeitamente equilibrado”, referiu o Técnico Oficial de Contas, Paulo Neves. No que se refere às atividades, Paulo Neves destacou a subida da equipa de futebol à II Liga, o 3º lugar da equipa de basquetebol na Liga Placard e o 3º lugar e a presença na final da Liga Europeia da formação de hóquei em patins. A Oliveirense conta com cerca de 500 atletas distribuídos pelas equipas de formação das três modalidades.

 




OUTRAS
11-12-2017»  Oliveirense não segurou a vantagem
11-12-2017»  Azagães com plano de atividades e orçamento aprovados
11-12-2017»  Boavista mais eficaz em Cesar
11-12-2017»  Oliveirense mais forte no Cenap
11-12-2017»  Correia & Novo tem nova morada que promete voos mais altos
11-12-2017»  Loureiro entregou taça de campeões no jantar de natal
11-12-2017»  Torneio de Xadrez juntou 44 atletas
11-12-2017»  Caminhada de Natal em Cucujães
11-12-2017»  Azagães com plano de atividades e orçamento aprovados
11-12-2017»  Columbófilos veem pombos a morrer e época em risco



PESQUISA




Estatuto Editorial O Correio de Azeméis, no cumprimento duma obrigação legal, renova o conteúdo do seu Estatuto Editorial, na mesma linha que orientou as décadas que leva de publicação ininterrupta, de colocar os verdadeiros interesses do con­celho de Oliveira de Azeméis como sua prioridade inquestionável, não se misturando com os interesses de grupos, nomeadamente políticos. O Correio de Azeméis renova o com­promisso de respeitar os princípios deontológicos da imprensa e a ética profissional, de modo a não poder prosseguir apenas fins comerciais, nem abusar da boa fé dos leitores, encobrindo ou detur­pando a informação.




REDACÃO:
Edifício Rainha, 8º Piso
3720-232 Oliveira de Azeméis


CONTACTOS:
Telf: 256 04 98 90 * Fax: 256 04 62 63
Tlm: 939628533


Horário Atendimento: 2ª a 6ª - 9:00h / 18:00h
email: geral@correiodeazemeis.pt


Todos os direitos reservados, 2017