Em
Correio de Azeméis

9 Aug 2022

Nossa Senhora de Lourdes na Quinta da Costeira

António Magalhães

Foi no dia 11 de Fevereiro de 1858. Bernardette Soubirous, de apenas catorze anos, mais uma irmã e uma amiga, recolhiam ramos de árvores deixados pela corrente do rio Gave, junto à gruta de Massabielle, nos Altos Pirenéus, terras de França. Sentindo um rumor estranho, Bernardette olhou a gruta, de onde saiu uma senhora jovem que se aproximou e com ela rezou o terço. Seguiram-se mais dezassete aparições. A última, em 16 de Julho, festa litúrgica de Nossa Senhora do Carmo. Antes, em 25 de Março, anunciou-se: “Eu sou a Imaculada Conceição”.

Refere a tradição que o sonho da construção do Santuário de Nossa Senhora de Lourdes, na Quinta da Costeira, surgiu após uma visita de D. Manuel Correia de Bastos Pina à gruta de Massabielle. Inquestionável é que as reconhecidas preocupações sociais do prelado carregosense contribuíram decisivamente para o início das obras, já que a povoação, bem como toda a região, vivia um período crítico de grave crise de trabalho. Ele próprio orientou a construção, executada por operários locais. 
Os trabalhos começaram em Março de 1898. O santuário e a vasta zona envolvente foram festivamente inaugurados em 31 de Agosto de 1902. A fachada altaneira do templo, em granito, é acompanhada por duas torres altas e estreitas; em granito se esculpiram as esculturas dos quatro Evangelistas, abrigadas em nichos, mais a da Virgem, que se lhes sobrepõe.
Toda a talha é de famosos artistas locais, que fizeram escola. As pinturas dos tectos e os azulejos foram confiadas a reputados artistas. O consagrado mestre lisboeta José Maria Pereira Júnior, vulgarmente conhecido por Pereira Cão – e que havia já trabalhado a sala de jantar do paço episcopal de Coimbra - decorou os tectos do santuário, bem como a Virgem no centro do corpo, a Fé e a Esperança sobre o arco cruzeiro e a Caridade sobra a janela da fachada.
Os azulejos foram confiados ao artista conimbricense Miguel Costa, do grupo da Renascença da Escola Livre das Artes do Desenho, reproduzindo quadros conhecidos da vida de Cristo e da Virgem. Do mesmo artista há duas telas, ao lado do arco cruzeiro, com cenas da Sagrada Família.
Um obelisco assinala a presença, ali, em 24 de Julho de 1910, do nosso derradeiro monarca, D. Manuel II, amigo pessoal do Bispo - Conde, como o foram D. Carlos e D. Amélia
O Santuário de Nossa Senhora de Lourdes, em Carregosa, passaria a centro de peregrinações de romeiros provenientes desde a serra à beira-mar, com especial festividade no primeiro domingo de Agosto. Que tem lugar agora, mais uma vez, porque a tradição não pode morrer.
(Escrito de acordo com a anterior ortografia)
 

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
Oliveirense jogou no Torneio do Centenário do Beira-Mar
26/09/2022
Álvaro Rocha eleito presidente
26/09/2022
Martinez garantiu o ponto a acabar
26/09/2022
Filipe Alves multado e suspenso por 23 dias
26/09/2022
Vítima teve de ser desencarcerada
26/09/2022
Sem-abrigo de novo ao relento
26/09/2022
Vilarinho de S. Luís é ‘Aldeia de Portugal’
26/09/2022
Ao lado da comunidade oliveirense há 15 anos
26/09/2022
PUB