“A correspondência chega a casa com atraso de meses”

Destaques Exclusivos Concelho

Queixas do “Mau serviço” dos CTT

O role de denúncias de “mau serviço” dos CTT continuam a chegar até ao Correio de Azeméis, são diversos os munícipes que se queixam. E ao que o Correio de Azeméis conseguiu apurar é um problema sério, que teima em não ser resolvido.
“A correspondência chega a casa com atraso de meses. Recebi recentemente uma carta para marcação de uma consulta no Centro Hospitalar já depois da data da consulta. Algumas faturas chegam já depois do prazo de pagamento”, acusou, ao Correio de Azeméis, Carla Rodrigues, vereadora do PSD da câmara municipal, natural de Cucujães.
Situações como esta são relatadas por todos os testemunhos que falaram com o Correio de Azeméis, faturas e outros avisos chegarem depois do prazo de pagamento ou outra situação com data limite.
Carla Rodrigues diz já ter feito queixa “formal aos serviços”, mas de nada valeu, “porque os CTT nunca assumem as falhas, nem se desculpam”, disse ao Correio de Azeméis.
Carlos Castro, presidente da direção do Centro de Estudo Ferreira de Castro e natural de Ossela, é mais um entre muitos outros lesados do defeituoso funcionamento deste serviço. “Um dos principais motivos para a degradação deste serviço é, creio, a evidente redução do número de carteiros e o desinteresse nesta profissão estarão os baixos salários e a elevada carga horária de trabalho. A privatização dos Correios de Portugal trouxe o desinteresse neste serviço público que passou a ser meramente comercial, com prejuízo de todos os portugueses”, opinou, em declarações ao Correio de Azeméis.
Carla Costa, natural de Pindelo, é também uma das pessoas que se manifestou em relação a esta situação e contou ao nosso jornal que “já há bastante tempo que as cartas, são colocadas no vizinho, ou as do vizinho são colocadas na minha caixa. (…) O carteiro com duas cartas, com a mesma morada, com o mesmo nome, no mesmo dia, pôs uma na caixa de correio certa e a outra foi colocar a seis ou sete casas de distância”, duas denúncias às quais acrescenta também uma fatura da EDP que chegou no dia 5 de julho e o prazo de pagamento terminava no dia 24 de junho, relatou ao Correio de Azeméis.

“Os CTT subcontratam entregadores, sem as mínimas condições de transporte e apresentação. Recebi uma encomenda no ano passado, entregue por uma pessoa sem as mínimas condições para o serviço, com péssima apresentação, falta de higiene e sem máscara, quando o seu uso ainda era obrigatório. A carrinha de transporte estava num estado miserável, de sujidade e más condições. Um serviço péssimo.”
Carla Rodrigues, vereadora do PSD da câmara municipal,  natural de Cucujães

“Infelizmente também fui, várias vezes, vítima do atraso da entrega de correspondência dos CTT e que me causaram grandes transtornos.”
Carlos Castro,presidente da direção do Centro de Estudos Ferreira de Castro, natural de Ossela

“Aqui em Pindelo está a correr muito mal mesmo. O ano passado, em setembro, creio eu, houve muita gente que ficou sem vales pelos correios, sem vales da reforma. Houve muita gente que ficou mal.”
Carla Costa, habitante natural de Pindelo

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
Idosos evacuados de casa pelos bombeiros
7/02/2023
Derrota no último minuto
6/02/2023
Ossela B volta a ganhar
6/02/2023
Oliveirense meteu a quinta!
6/02/2023
CD Cucujães voltou às vitórias
6/02/2023
Oliveirense B volta a ganhar
6/02/2023
PARC vence e segue na liderança do campeonato
6/02/2023
Dérbi acabou empatado
6/02/2023