Crise energética marcou reunião do executivo

Destaques Reuniões de Cãmara e Assembleia Municipal

Oliveira de Azeméis quer ser pioneiro na implementação das comunidades das energias renováveis no nosso país, garantia deixada pelo vereador Hélder Simões

CUSTOS ENERGÉTICOS LEVAM À NECESSIDADE DE REMODELAÇÃO

A reunião do executivo de câmara de 13 de outubro ficou marcada pela atual crise energética que se faz sentir por todo o país e à qual o concelho de Oliveira de Azeméis não consegue sair impune. O presidente da câmara municipal, Joaquim Jorge, falou nos esforços suplementares que terão que ser feitos no âmbito da poupança de energia, nomeadamente a piscina municipal, vista como o equipamento que requer um maior esforço financeiro.

A vereadora do PSD, Carla Rodrigues, colocou uma série de questões ao presidente Joaquim Jorge relacionadas com a crise energética que o país e consequentemente o concelho enfrentam.  Em resposta à vereadora o presidente da câmara municipal revelou-se preocupado com a subida constante dos preços da energia e que terão que ser feitos esforços excecionais por parte da autarquia.

“Gostaríamos de saber como é que a câmara municipal está a ponderar o apoio às instituições para ajudar nesta crise energética e como é que a câmara municipal se está a preparar para esta crise. Que tipo de plano de resposta a este agravamento dos preços de energia está a ser feito para contermos esse agravamento e tentarmos reduzir o impacto na nossa fatura energética?  Como é que se compatibiliza com esta necessidade de poupança energética os cerca de 120 mil euros que o município gastou em iluminação de natal? Porque embora consideremos que há momentos que têm de ser assinalados, estamos a viver um período absolutamente excecional e para um período excecional temos que ter medidas excecionais”. 
Carla Rodrigues, vereadora da câmara municipal

“Não me parece que o problema do país se resolva por nós pouparmos dois ou três mil euros numa iluminação de natal. Temos que equacionar todas estas dimensões. Nós temos no nosso concelho e, sobretudo na administração pública local, péssimas práticas. São milhões de euros por ano que o município suporta com custos de energia e combustíveis. Se nós conseguirmos reduzir esses custos de energia, nós estamos no bom caminho. Uma das formas que nós temos para o fazer é através das requalificações que estamos a fazer. Procurar a eficiência energética e melhorar o sistema de climatização nas escolas, mudando os velhos aquecedores por sistemas de climatização muito mais eficientes. É muito complicado quando nós não temos uma gestão da rede de iluminação pública. Como sabem ela faz parte de uma concessão de baixa tensão entregue à E-REDES. Não temos regulação de fluxo.  Temos que ter todo o nosso sistema de iluminação pública com tecnologia LED. Nós apresentámos já ao governo anterior e apresentámos ao atual governo, um trabalho que foi feito pelo vereador Hélder Simões. Um plano nacional para a erradicação das luminárias de vapor de sódio. As luminárias LED são mais eficientes e poluem menos.  
Joaquim Jorge, presidente da câmara municipal 

A saúde mental nos idosos
A vereadora do PSD Joana Ferreira, questionou o executivo sobre o retomar das atividades para os idosos do concelho que considera serem cruciais na questão da saúde mental.
“Antes da pandemia havia uma série de atividades que o próprio município protagonizava, tanta para as pessoas idosas nas instituições como pessoas idosas no geral.  De que forma é que estamos a trabalhar para voltar à normalidade e conseguirmos melhorar e manter a saúde mental como grande objetivo”?
Joana Ferreira, vereadora da câmara municipal 

“As atividades de grosso modo foram retomadas. O programa ‘viver melho’r já estava a decorrer antes das férias. Só foi suspenso no período de férias e já foi retomado, este que é um programa direcionado aos grupos séniores das freguesias. O gabinete de desporto promoveu um conjunto de caminhadas antes das férias dirigidas a esta população. As atividades de pintura, os ‘encontros de saberes’ e o grupo de apoio psicológico no centro lúdico também já foram retomadas. A atividade da ‘Universidade Sénior’ retomará em novembro’. 
Inês Lamego, vereadora da câmara municipal
 

Pioneiros a nível energético
“Estamos a trabalhar com a Energaia (Agência de Energia do Sul Da Área Metropolitana Do Porto) e esperamos ser um dos primeiros municípios que vai lançar um concurso público para a implementação das comunidades das energias renováveis no nosso país. Um conjunto de instalações municipais onde vamos em conjunto produzir energia que será distribuída na rede e onde as pessoas poderão aderir a preços mais vantajosos. Estamos a ultimar o processo”. 
Hélder Simões,  vereador pelouro  transporte, comunicação e eficiência energética

> Para evitar novo encerramento 
Câmara à procura de soluções para o custo do gás das piscinas 
Sobre a situação das piscinas municipais, cujos aumentos do custo do gás  foi objeto de análise na sessão de câmara, solicitamos ao munícipio um mais completo esclarecimento, atendendo à importância do equipamento.
“O Município de Oliveira de Azeméis não está imune à oscilação galopante dos custos de energia, nomeadamente gás natural e está a procurar junto do mercado, as melhores soluções para reduzir o consumo de gás e/ou reduzir a fatura energética associada ao seu consumo. 
Estamos cientes da importância deste equipamento [piscinas municipais] e, por isso, estamos a trabalhar para que o mesmo não venha a ser novamente encerrado, mas, se se confirmarem as estimativas que apontam para incrementos da fatura energética na ordem dos 1000%, terão que ser equacionadas todas as alternativas.”
 

Programa de emergência social
Este plano garante apoio financeiro aos agregados familiares em situação de vulnerabilidade social. A vereadora Carla Rodrigues revelou preocupação quanto à escalada inflacionista do custo de vida e procurou respostas quanto à ação da câmara municipal relacionada com o programa de emergência social
“Mais do que nunca é fundamental olhar e reforçar este plano para acudirmos às necessidades das famílias. Quantas famílias estão a ser apoiadas por este programa? Como é que está a ser dado esse apoio? A câmara municipal tem dado uma resposta cabal em tempo útil? Qual é o volume dos novos pedidos? Como estão a ser tratados os novos pedidos?”
Carla Rodrigues, vereadora do PSD

“Tem sido, de facto, um programa muito procurado. Na última avaliação que fizemos, ainda estava dentro do planeamento que havíamos feito para este ano. O que tem tido um aumento muito grande é o apoio ao arrendamento. O apoio ao arrendamento tem sido uma medida muito procurada. Temos sido muito ‘assediados’ quanto à habitação social”. 
Inês Lamego, vereadora pelouro ação social

“As necessidades das famílias são muito complexas. Não são necessidades pontuais. Devemos procurar respostas de natureza mais estrutural e isso está relacionado com questões como a fiscalidade e com a regulação do aumento de alguns custos. Procurar através de um conjunto de incentivos, que seja possível dar às nossas empresas, garantir o que é mais importante que são os empregos. O que as pessoas precisam é de um salário. Se não tiverem um salário não há programa local ou nacional que lhes valha”.
Joaquim Jorge, presidente da câmara municipal
 

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
José Costa, bombeiro oliveirense, homenageado com mérito profissional pelo Rotary Club de Oliveira de Azeméis
28/01/2023
Dois feridos numa colisão em Macieira de Sarnes
28/01/2023
Serginho é reforço e já treina na Oliveirense
27/01/2023
Cesar recebeu torneio de semirrápidas
27/01/2023
Congresso da Indústria de Moldes regressa a Oliveira de Azeméis
27/01/2023
Homem detido por furto em estabelecimentos comerciais
26/01/2023
Inscrições abertas para o 3º “Street Food & Beer
26/01/2023
Miura, jogador de 55 anos, já está em Oliveira de Azeméis
26/01/2023