Em
Correio de Azeméis

29 Sep 2022

Presidente e vereador da educação visitaram os agrupamentos

Destaques Concelho

Agrupamento de Escolas Soares Basto, JI/EB1 Comendador António da Silva Rodrigues

Diretores dos agrupamentos tiveram oportunidade de expor os seus problemas

O presidente da câmara municipal, Joaquim Jorge, e o vereador da educação, Rui Luzes Cabral, fizeram uma visita a cinco escolas, dos cinco agrupamentos do concelho. A Azeméis TV/FM acompanhou esta visita e falou com os diretores dos agrupamentos dos diferentes estabelecimentos de ensino, tendo sido elas: a JI/EB1 Comendador António da Silva Rodrigues (Ul - Agrupamento de Escolas Soares Basto); EB2.3 de Loureiro (Agrupamento de Escolas de Loureiro); a EBS Ferreira de Castro (Agrupamento de Escolas Ferreira de Castro); JI/EB1 de Macieira de Sarnes (Agrupamento de Escolas de Fajões); e a EBS Dr. Ferreira da Silva (Agrupamento de Escolas Dr. Ferreira da Silva).

Agrupamento de Escolas de Loureiro, EB 2.3 de Loureiro
Agrupamento de Escolas Ferreira de Castro, EBS Ferreira de Castro
Agrupamento de Escolas de Fajões, JI/EB1 de Macieira de Sarnes
Agrupamento de Escolas Dr. Ferreira da Silva, EBS Dr. Ferreira da Silva

Agrupamento de Escolas Soares Basto, JI/EB1 Comendador António da Silva Rodrigues
“Esta é uma escola recente, de todas as escolas de primeiro ciclo do agrupamento é aquela que se encontra em melhores condições. Mas, mesmo assim, é preciso manutenção. E foi isso que aqui hoje verificamos, para melhorar quer as condições do edifício em termos de algumas infiltrações e para melhorar a segurança dos alunos. Em relação ao restante agrupamento, a escola da Feira dos Onze é a que está a precisar de uma intervenção profunda.”
Professora Maria José Cálix, diretora do Agrupamento de Escolas Soares Basto

Agrupamento de Escolas de Loureio, EB2.3 de Loureiro
“Temos escolas que estão desatualizadas, que já não oferecem condições para o ensino que se pretende para este século, com as novas aprendizagens e tecnologias. A carência de espaços letivos nesta escola em particular, onde não temos salas suficientes para todas as turmas e, portanto, temos de fazer uso de espaços que não deveriam ser usados como sala de aula. Verificamos também carências nos laboratórios, que estão completamente desatualizados. Todo esse conjunto de necessidades está já elencada para que se possa fazer um projeto de arquitetura que venha a suprir todas estas necessidades. Relativo ao restante agrupamento, as escolas do primeiro ciclo todas elas estão a precisar de algum tipo de intervenção..”
  Professora Ana Rio, diretora do Agrupamento de Escolas de Loureiro

Agrupamento de Escolas Ferreira de Castro, EBS Ferreira de Castro
“A maioria dos alunos já tem os seus professores. Em relação ao pessoal não docente, já temos mais pessoas, nós eramos a escola que tínhamos um défice muito grande, mas felizmente agora temos. O grande constrangimento é a idade das assistentes operacionais, para o tipo de serviço que desempenham e as baixas médicas, mas de resto está tudo a correr do que era expectável. Na perspetiva do restante agrupamento, tivemos uma notícia muito importante que foi a requalificação da escola de Lações, estava muito degrada, falta-nos duas salas de aula (…) Mas a nossa pior mesmo é Vermoim, em Ossela. Um pré-fabricado com muitos anos, mais de 20, substituíram apenas a cobertura por causa do amianto. Lá justificava-se a construção de uma unidade nova de JI/EB1.”
Professora Ilda Ferreira, diretora do Agrupamento de Escolas Ferreira de Castro

Agrupamento de Escolas de Fajões, JI/EB1 de Macieira de Sarnes
“A escola estava a precisar de urgentemente [da intervenção que está a ser feita], por causa do telhado que deixava entrar água. Vamos criar uma escola que seja mais atrativa e que seja mais interessante para os nossos alunos e com qualidade que os docentes e não docentes. [No restante agrupamento] estamos com sorte, não temos nenhum professor em falta, nem nenhuma educadora. Algumas escolas vão ser requalificadas, a autarquia já prometeu. É o caso de Cesar, que necessita urgentemente. Em Vilarinho, também em Cesar, no jardim de infância, foi-nos prometido uma cantina que penso que será levada a cabo este ano. Na parte da educação, temos tido bom desempenho dos nossos alunos, principalmente a nível do secundário, tivemos no ranking muito bem pontuados.”
Professor Camilo Silva, diretor do Agrupamento de Fajões

Agrupamento de Escolas Dr. Ferreira da Silva, EBS Dr. Ferreira da Silva
“As necessidades são um pouco distintas. Começando aqui pela escola sede do agrupamento, foi intervencionada há relativamente pouco tempo, por isso as instalações são excelentes. Há uma segunda fase prevista, que é aquela que engloba as obras de requalificação do pavilhão e do campo de jogos anexo. A nível das restantes escolas do agrupamento, existe algumas intervenções que se impõem, nomeadamente no JI de Nogueira do Cravo e na Comendador Ângelo Azevedo há algumas infiltrações no pavilhão e ainda em Faria de Baixo onde temos a nossa unidade de multideficiência. Mas apesar destas circunstâncias, houve um arranque do ano letivo muito normal, sem problemas a registar.”
Professor António Figueiredo, diretor do Agrupamento de Escolas Dr. Ferreira da Silva

Joaquim Jorge faz uma análise no final da visita
“Esta visita que fizemos, serve para simbolizarmos o trabalho que está a ser feito ,por um lado, temos escolas com excelentes condições, mas temos ainda algumas que não são dignas. Estamos a fazer um caminho que esperamos que venha a permitir que o nosso parque escolar esteja requalificado e sejamos uma referência. (…) Os assistentes operacionais são um problema em Oliveira de Azeméis e do país, estamos a fazer um enorme esforço para que o problema seja ultrapassado, mas ainda não tivemos tempo e capacidade para o resolver. Fizemos recentemente uma contratação de 25 assistentes operacionais, temos uma bolsa de recrutamento para suprir ausências temporárias por baixa médica e outros impedimentos. Mas percebemos que há aqui algumas lacunas ainda a preencher.Nós cumprimos os rácios, mas com a quantidade de respostas que nós estamos sempre a assegurar, que vão sendo cada vez maiores, é evidente que temos de ter recursos humanos. (...) Temos apenas um agrupamento que ainda não avançou com as AEC, um processo que foi gerido de maneira diferente pelo diretor do agrupamento, mas a informação que temos é que no início da próxima semana vão arrancar as mesmas (…) Estamos todos satisfeitos, e aquilo que desejamos para o futuro seja uma normalidade, um arranque sem problemas, sem receios, desde que haja esta capacidade de nos entendermos, para unirmos esforços, eu não tenho dúvidas que os próximos anos serão semelhantes a este ano, que é um ano que eu acho que correu muitíssimo bem.”
Joaquim Jorge, presidente da C.M. de Oliveira de Azeméis 

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
‘Feirinha de Natal’ levará o encanto a Travanca
25/11/2022
Um ferido numa colisão entre três veículos
25/11/2022
Gonçalo Noites está no caminho de mais uma medalha
25/11/2022
João Paulo Silva sucede a Luís Filipe Oliveira como Presidente da Ordem dos Advogados
25/11/2022
Filipa Oliveira é vice-campeã do mundo em Acrodance
25/11/2022
“Parque Natal”: espetáculos com levantamento prévio de bilhetes
24/11/2022
Mau tempo vai deixando marcas no concelho
23/11/2022
Nadador da Oliveirense é campeão regional
23/11/2022
PUB