Relações de Casal mais conscientes

Catarina Gomes

Catarina Gomes *

Há cada vez mais casais à procura de terapia, e isto significa que as pessoas estão cada vez mais informadas e que sabem que há coisas que se ainda se podem fazer. Surgem casais com diferentes idades e em fases distintas, desde do namoro à idade da reforma.
Recorrer à terapia não deve ser visto como última linha, mas sim como forma de não deixar arrastar problemas e deixar degradar a relação. 
Segundo José Gameiro, encontramos:
- casais em crise aguda, que mantem uma boa relação e, por uma situação em específico, é criada uma situação de crise que põe em causa a relação; 
- casais com queixas crónicas, com queixas que se arrastam ao longo do tempo e que só procuram ajuda quando a separação aparece como solução; 
- casais com pedidos preventivos, não apresentam grandes dificuldades, mas que antecipam algumas circunstâncias que possam mexer na relação.
Fazer Terapia de Casal, é permitir ter um espaço neutro para trabalhar os sentimentos, pensamentos e situações que estão a bloquear, de certa forma, a dinâmica entre os dois elementos do casal. 
Como é que podemos tornar a nossa relação mais consciente?
É importante lembrar que as relações de casal foram sofrendo muitas alterações, e é de conhecimento comum que taxa de divórcios aumenta exponencialmente. 
Em primeiro lugar, ninguém consegue ser feliz ao lado de uma pessoa que ama, sem resolver as suas próprias inquietações e tristezas. 
Coloca-se muito a responsabilidade no outro para uma relação feliz, mas numa relação de casal consciente, temos que olhar primeiro para cada um individualmente. 
Ter noção que o amor é um sentimento volátil e que é influenciado por questões internas e externas. A manifestação de amor muda ao longo dos tempos e é importante perceber e acolher estas mudanças. 
O sentido de humor e passar bons momentos a dois pode facilitar aguentar as fases mais difíceis. Permite aceitar e viver as rotinas, que são muitas vezes chatas, com menos tensão e, dessa forma não criar frustração. 
Estar conscientes que os homens e as mulheres expressam as suas emoções e sentimentos de forma diferente. Falarem, falarem muito, partilhar o que sentem e como pensam em relação a determinado assunto, sem julgamentos ou críticas. Abertos às diferentes formas de pensar e sentir. 
A relação com as famílias de origem também pode trazer elementos stressores para o casal. Perceber a influência que a família de cada um tem, pode ser importante para ajudar o casal a perceber como se quer posicionar em relação a determinada situação. 
Eu gosto sempre de lembrar que numa relação de casal 1 + 1 = 3 isto traduz-se no EU - TU – NÓS. Não podemos anular a nossa individualidade, devemos permitir ao outro ter a sua e termos algo único nosso. Esta é a base para uma relação a dois mais consciente.
*Psicóloga, Terapeuta Familiar e de Casal

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
José Costa, bombeiro oliveirense, homenageado com mérito profissional pelo Rotary Club de Oliveira de Azeméis
28/01/2023
Dois feridos numa colisão em Macieira de Sarnes
28/01/2023
Serginho é reforço e já treina na Oliveirense
27/01/2023
Cesar recebeu torneio de semirrápidas
27/01/2023
Congresso da Indústria de Moldes regressa a Oliveira de Azeméis
27/01/2023
Homem detido por furto em estabelecimentos comerciais
26/01/2023
Inscrições abertas para o 3º “Street Food & Beer
26/01/2023
Miura, jogador de 55 anos, já está em Oliveira de Azeméis
26/01/2023